terça-feira, 20 de março de 2012

Qual é a Escala do Dia?


Todos os dias quando acordamos, devemos em primeiro agradecer a Deus por isso.  O melhor seria agradecer por ter acordado e também por tudo mais que Deus tem feito em sua vida; e com certeza são muitos os motivos.
Você pode até me dizer que está passando por momentos terríveis, e que não tem muito nesse momento para agradecer.  Esse é exatamente o ponto:
Quando paramos para pensar em todos os nossos dias anteriores, quantas alegrias, quantas bênçãos tem sido derramadas em nossas vidas!  O mal do ser humano é ter memória curta, e quando está passando por uma luta, esquece os momentos maravilhosos que já teve.  Às vezes, ainda está passando por momentos de bênçãos, mas se apega a uma determinada questão que o incomoda, e  a valoriza tanto que acaba abafando as coisas boas que estão ao seu redor, mesmo com aquele “valezinho”.
 Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” 1 Ts 5:18
Certa vez uma mulher de semblante abatido, olhos avermelhados de tanto chorar chamou a atenção de um casal que era membro dessa igreja que ela estava visitando.  Este casal não tinha “cargo” na igreja; eram apenas irmãos em Cristo. Comovidos com tanta dor, em acordo com seu marido, a mulher foi até ela e ofereceu carona no final do culto, justamente para ter a oportunidade de conversar e quem sabe ajudá-la. E assim foi feito.  Durante a carona, a irmãzinha permaneceu quieta, mas quando parou em sua casa, agradecida, convidou os irmãos para um café, e eles aceitaram.
O casal entrou, naquela casa tão bonita, com um jardim muito bem cuidado, as cercas pintadas de branco e uma árvore frondosa valorizando ainda mais seu quintal.
Ao entrarem na ante-sala, perceberam todo capricho daquela mulher com seu lar.  Tudo em seus lugares, um chão de um brilho incomparável!  Logo veio nos trazer um café, uma empregada de uma educação esmerada.  Tomamos nosso café e enquanto isso houve a oportunidade da irmã se abrir conosco e nos revelar o porquê de seu coração estar tão abatido.  O motivo, é que ela havia perdido um bebê ainda no quarto mês de gestação.  Isso acontecera há seis meses, mas a dor daquela mulher era muito grande e ela entrara numa depressão profunda que não permitia que seguisse em frente com sua vida.
Por esse motivo, entrou naquela igreja, pedindo a Deus que a ajudasse a engravidar novamente pois com tudo isso sentia que seu marido a estava rejeitando.  A mulher chegou a insinuar que ela a estava traindo.
Então o casal perguntou pelo  seu esposo, no que ela levantou e abrindo a cortina de uma das janelas que dava para o quintal dos fundos, mostrou-o quase com desdém. Era domingo, e ele estava em casa, naquele lindo gramado brincando com seu fiho de 6 anos.
Ao perceber a presença de pessoas estranhas em sua casa, o marido acenou se recompôs e veio sorridente receber o casal.
Bem, para não nos estendermos em demasia, vou resumir os fatos:  O casal fez amizade com aquela família e logo no culto seguinte conversou em particular com o pastor da igreja. Nesse mesmo dia apresentou a mulher ao pastor e ela aos prantos desabafou e pediu ajuda.
Aquela família foi acompanhada pelo pastor com a ajuda do casal e hoje são cristãos batizados e fazem parte daquela congregação.
Com acompanhamento, veio à tona o porquê do sofrimento daquela mulher: Ao perder seu bebê, que era a menina que o marido tanto esperava, a mulher entrou em depressão e focada naquela fatalidade, perdeu o gosto e prazer por tudo mais que Deus havia proporcionado aquela linda família. Nem o amor do seu filho, o cuidado e consolo dado a ela por seu marido, nem a psicóloga que cuidou dela nos dois primeiros meses após a perda do bebê,(ela não quis mais o atendimento), foram suficientes para ela entender que o amor de Deus por eles era infinito e constante, mesmo em meio a dor que todos passaram com a perda. Sua visão deturpada da situação, chegou a imaginar que o marido tão amoroso e dedicado a traía.  Ele em conversa, explicou que ela não permitia que aproximação e então ele apenas respeitou seu momento.
Ah! Para encerrar, queria contar para vocês que dois anos depois essa mulher carregava em seus braços a menina tão esperada por todos!

Esse caso nos ensina algumas lições muito importantes:
Não devemos supervalorizar um problema pois se olharmos para trás, veremos quantas situações já passamos e... saímos dela!  Não há mal que dure eternamente!
A outra lição, diz respeito ao casal, que olhou para  “o próximo” e se compadeceu.  Não é preciso ser pastor da igreja ou fazer muitas faculdades ou cursos de teologia para se compadecer e dar a mão a uma ovelha do Senhor.  Para isso Deus nos criou também:  Para amar a Deus sobre todas as coisas e a próximo como a nós mesmos.  Pode ter certeza que toda essa situação foi oportunizada por Deus. 
Também podemos perceber com esse caso, que cuidar do rebanho, não é tarefa exclusiva do pastor da igreja! Nem sempre é possível o pastor cuidar pessoalmente de todas elas.  Seria uma prática administrativa fora de questão.  Alias, nas Escrituras Sagradas vemos um dos maiores princípios administrativos existentes, que foi ensinado a Moisés, pelo seu sogro “Jetro”:
(disse o sogro de Moisés)
14..."Que é que você está fazendo? Por que só você se assenta para julgar, e todo este povo o espera em pé, desde a manhã até o cair da tarde?" 16Toda vez que alguém tem uma questão, esta me é trazida, e eu decido entre as partes, e ensino-lhes os decretos e leis de Deus".17Respondeu o sogro de Moisés: "O que você está fazendo não é bom. 18Você e o seu povo ficarão esgotados, pois essa tarefa lhe é pesada demais. Você não pode executá-la sozinho. 19Agora, ouça-me! Eu lhe darei um conselho, e que Deus esteja com você! Seja você o representante do povo diante de Deus e leve a Deus as suas questões. 20Oriente-os quanto aos decretos e leis, mostrando-lhes como devem viver e o que devem fazer.
21Mas escolha dentre todo o povo homens capazes, tementes a Deus, dignos de confiança e inimigos de ganho desonesto. Estabeleça-os como chefes de mil, de cem, de cinqüenta e de dez. 22Eles estarão sempre à disposição do povo para julgar as questões. Trarão a você apenas as questões difíceis; as mais simples decidirão sozinhos. Isso tornará mais leve o seu fardo, porque eles o dividirão com você.” Êxodo 18
Na verdade, o bom pastor é aquele que conduz o rebanho com uma grama verde e fresquinha,(alimento espiritual)entre outros cuidados e que prepara homens e mulheres íntegros, que não fazem questão de títulos nem se gabam das suas conquistas humanas e sim fazem a obra de Deus por amor a Ele e ao seu próximo.  E, como diz o texto acima, cuida o pastor das questões mais difíceis, o que não quer dizer que ele não esteja no meio das ovelhas, tendo comunhão com elas, dando-lhes seu amor e atenção.
Eu creio que Deus “escala” pessoas disposta e disponíveis para fazer a Sua Obra.  Nesse particular, o casal de irmãos em Cristo que estavam a disposição  do serviço da “boa obra” foram usados por Deus para abençoar aquela linda família.
Meu amado, minha amada, viver no Reino de Deus é isso:  Estar pronto para abençoar outras vidas ao invés de pensar só em nossos problemas. Devemos entender que estamos nesse mundo também para cuidar das ovelhas junto ao pastor das nossas igrejas.  Não podemos nos gabar quando pessoas nos procuram para pedir uma oração, uma instrução ou para um desabafo.  Isso faz parte dos que vivem no Reino de Deus!  Somos cidadãos do Reino para isso também.Caso alguém o procure pedindo ajuda ou você perceba que alguém precisa de ajuda, faça sua parte sem julgar o pastor ou outra pessoa qualquer. Apenas faça sua parte.
"Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças,..." (Ecles. 9:10)
Com carinho,
Soraya Barros




2 comentários:

  1. que musica linda que Deus abençoe muito essa cantora

    ResponderExcluir
  2. Amém! Que Deus abençoe também
    a sua vida querida!
    bjs
    Soraya Barros

    ResponderExcluir